sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Carta Aberta - Internacional - Imprensa



Aldeia Noroeste (DF), multiétnica
CARTA ABERTA – INTERNACIONAL – IMPRENSA
PARA OS SINDICATOS DE JORNALISTAS
Falta ética profissional pelos jornalistas, pois há tratados assinados sobre os jornais, acerca das notícias veiculadas. Isso é um desrespeito! São profissionais incompetentes, pois se tornam profissionais de matérias modificadas para manipular a sociedade, com matérias traumáticas, desviando a opinião pública. O Correio Braziliense, principal jornal da Capital Federal, que circula em todo o Distrito Federal, não respeita os leitores. O Correio Braziliense é feito de fofocas. Os jornalistas não têm nada de educadores. Educar é para a Fraternidade, Lealdade, Amor Construtivo, Felicidade. A sociedade civil tem que superar os traumas psicológicos, que minuto a minuto, acontece traumas, desastres nos bairros, nas favelas, nas comunidades isoladas. O jornalismo é um meio de comunicação para a assistência social. Não pode servir para isolar da educação, da saúde, da comunidade. Muitas matérias acontecem nos bairros e não são transmitidas pelos meios de comunicação. Se isso acontecesse, os julgamentos seriam favoráveis à sociedade civil. Precisamos de igualdade popular. Quais são as propostas de maior apelo popular da sociedade civil? A publicação dessas propostas dará um início ao confronto com a sociedade civil?
O jornalismo não contribui para a sociedade civil, que está isolada. Precisamos de maior assistência médica e combate à violência pela sociedade popular. Precisamos pôr fim à discriminação e exclusão social civil.
Qual é o primeiro ato de violência a iniciar um processo social civil?l
Véspera das eleições municipais.
Cacique Korubo

Carta original do cacique Korubo


6 comentários:

Anônimo disse...

O Correiro Braziliense serve à Especulação Imobiliária, ao Genocídio, ao Holocausto Ambiental, à destruição das nascentes do Paranoá, ao cretino do Paulo Otávio. O Correio nao contribui para a sociedade civil, a folha não contibui para a sociedade civil, o globo não contribui em nada para a sociedade civil. Os índios estão sendo expulsos, por hidrelétricas, grilheiros, madeireiros, agronegócio, mineiradoras, mega-corporações em pequenos, Povos Indígenas estão abandonados à propria sorte, a sociedade civil anestesiada enquanto a coca-cola planta cana em terras indígenas, é preciso seguir o sendero, é preciso acordar. Korubo nos mostra o caminho.

Viva o AIR, Viva Korubo!

Anderson Tupinambá

19 de agosto de 2011 16:26
antoey disse...

antoey xukuru. o correio brasiliense nao sabe a destruiçao; a natureza nossa mãe terra nossa mãe tamain. boa sorde kurubo.

21 de agosto de 2011 09:10
Anônimo disse...

O Correio Braziliense, hoje denunciando por interesses menores a corrupção da gestão Márcio Meira no Ministério da Cultura, foi surdo às denúncias do AIR contra a república do Açaí instalada na Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e contra a roubalheira descarada na saúde indígena, hoje agravada pela gestão petista do SESAI, incluindo denúncias com cópia de cheques comprovando desvio de 15 milhões por associação de base entregues à polícia federal (que ao invés de investigar, comandou operação brutal, desproporcional, arbitrária, inconstitucional e violenta contra os próprios denunciantes).

De igual modo, servindo aos interesses das empreiteiras e do mega-capitalista brasiliense Paulo Otávio, o Correio Braziliense promoveu campanha de perjúrio e difamação contra apoiadores e moradores da Terra Indígena Bananal durante anos seguidos.

Korubo, símbolo maior da luta do Setor Noroeste (TI Bananal) e do Acampamento Indígena Revolucionário, sofreu forte neutralização por forças institucionais e burguesas no interior dos movimentos e hoje os tratores aportam no quintal dos Caciques do Noroeste, o decreto 7056/09 se consolidou - junto com um pacotão de hidrelétricas, uma nova legislação mineral a ser imposta, sem contar com o avanço criminoso de fronteiras agroindustriais, a defensoria da Funai completamente desmontada e quase 800 lideranças indígenas encarceradas nos presídios - e Meira não cai de podre nem com enérgico e revoltado puxão de orelha de Raoni, referência moral para indígenas e não-indígenas do mundo inteiro e liderança originária transcontinental, falando por todos os indígenas do Brasil.

Dilma escolheu o seu lado, antes mesmo de ser eleita. Conclamamos o Cacique Korubo a seguir a sua luta, dando nome aos bois e exemplo para os guerreiros de todo o país. Viva Korubo, Viva a luta do Acampamento Indígena Revolucionário, FORA MÁRCIO MEIRA!

COMITÊ BASTA DE MÁRCIO MEIRA, BASTA DE GENOCÍDIO,
"POR UMA FUNAI GERIDA POR INDÍGENAS E SERVIDORES"

24 de agosto de 2011 18:33
Anônimo disse...

os prisidenti da funai é ladrão. As cordenação não funsiona e o dinheiro fica em brasilia. prisidenti ladrão. cordenado ladrão.

Ramiro Terena

2 de setembro de 2011 11:59
Rafael Gomes disse...

Companheiros,
A equipe do jornal A Nova Democracia esteve no Complexo do Alemão para registrar o que de fato está acontecendo na comunidade.

Confiram os dois vídeos feitos por A Nova Democracia:

VÍDEO – Complexo do Alemão: Luta dos moradores contra abusos de poder é transformada em guerra do tráfico pelo exército

http://www.youtube.com/watch?v=gmn70nSohl0&feature=player_embedded

VÍDEO – Após rebelião, moradores denunciam abusos do exército no Complexo do Alemão

http://www.youtube.com/watch?v=0N-If2rqMzg&feature=player_embedded#!


Saudações!!

8 de setembro de 2011 11:41
Anônimo disse...

Projetar Brasília para os políticos que colocaram lá foi como criar um lindo vaso de flores para usarem como pinico. Brasília nunca deveria ter sido projetada em forma de avião e sim de camburão.

Saudações aos indígenas do Brasil! Força na luta!

Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho

10 de setembro de 2011 00:31

Postar um comentário